Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Confira 11 dicas para desenvolver uma comunicação efetiva em outro idioma

Confira 11 dicas para desenvolver uma comunicação efetiva em outro idioma

por fernanda.kian última modificação 08/12/2020 12h03
A comunicação efetiva é a capacidade de transmitir nossas ideias de maneira clara e persuasiva, sendo esta uma das habilidades sociais mais necessárias em profissionais da área de comunicação e negócios
Confira 11 dicas para desenvolver uma comunicação efetiva em outro idioma
Imagem: site Berlitz

No mundo dos negócios, são sempre necessários colaboradores capazes de se comunicar perfeitamente, seja para coordenar atividades com as equipes de trabalho internamente, como para representar a empresa perante clientes e grupos de interesse. Os profissionais que desejam progredir na carreira estão constantemente melhorando, aprimorando habilidades e conhecimentos.

Alguns deles sabem muito bem que o mercado de trabalho pode ser muito competitivo e é por esse motivo que tendem a ir além. Eles não apenas se contentam em dominar a comunicação efetiva em seu idioma nativo para melhorar sua oferta para as empresas de seu interesse, como também tentam dominá-la em uma nova língua que lhes permita acessar a outras oportunidades.

Dicas para desenvolver uma comunicação efetiva em uma segunda língua

1. Expressar-se claramente

Além de falar perfeitamente o idioma, para estabelecer uma comunicação efetiva é essencial se expressar com clareza, conseguido ao acompanhar a conversa de forma pausada e direta. Isso projeta segurança ao falar, pois o ouvinte captura as ideias claramente. Se você precisa ser convincente para obter uma resposta específica é útil manter uma estrutura simples e concreta nas orações.

Falar rápido e com palavras coloquiais pode fazer com que você pareça despreparado. No mundo dos negócios é muito mais positivo manter o idioma formal e claro. Isso se aplica à comunicação oral e escrita.

2. Use frases precisas

É sempre preferível se expressar com frases simples, pois assim é mais fácil para o interlocutor entender a mensagem. O uso de palavras comuns e frases curtas permitirá uma conversa mais fluída. Além disso, será muito mais fácil dessa forma criar frases em outro idioma, evitando se enrolar e gerar nervosismo. É benéfico usar as palavras em línguas estrangeiras que você melhor domina e as que você sempre ouve.

3. Preferir a linguagem ativa

Expressões em um idioma estrangeiro podem ser bastante aprimoradas se as palavras corretas forem usadas. Para uma comunicação efetiva, sempre é aconselhável escolher orações compostas por frases ativas. Ao interpretar as frases será mais fácil fazê-lo com expressões claras e precisas do que com as ambíguas. É melhor evitar frases coloquiais, pois em outras línguas podem ter outros sentidos e serem confusas.

4. Descartar a linguagem informal

Algumas pessoas tentam usar linguagem informal e expressões modernas para causar proximidade com o ouvinte, principalmente se estiverem conversando com um público muito jovem. Isso geralmente é contraproducente, pois, se a linguagem não for dominada perfeitamente, nem a cultura for entendida para contextualizar sentenças, poderá cair em erros e mal-entendidos. É melhor optar por uma linguagem neutra e transversal.

5. Identificar ideias que não foram totalmente compreendidas

Pode ser que o interlocutor não compreenda totalmente a ideia; uma boa prática será sempre consultar o que foi entendido. Lembre-se de que parte de uma comunicação efetiva é fazer com que o ouvinte receba a mensagem. Deve se confirmar prestando atenção à linguagem não verbal do ouvinte; os elementos corporais e expressão facial também comunicam.

Por outro lado, é possível produzir uma boa impressão, mostrando consideração e disponibilidade para resolver as dúvidas do receptor. No caso de detectar erros, corrija usando o idioma conhecido mais simples para evitar interpretações errôneas.

6. Ser paciente e falar pausadamente

Há quem se sinta ansioso por poder expressar suas ideias de maneira mais natural, mas às vezes a mente pode ficar em branco porque a palavra exata não vem. Para evitar essa situação, mantenha a calma. A transmissão de insegurança não fornecerá bons resultados para uma comunicação efetiva em uma nova língua.

É melhor falar mais devagar, se necessário, pois assim você pode pensar nas frases e pronunciá-las com mais tempo. Também deve ser considerado que o interlocutor precisará de tempo para ouvir e interpretar as palavras.

7. Familiarize-se com diferentes sotaques

É comum aprender a pronunciar um novo idioma ouvindo um sotaque mais neutro. Mas a realidade é que as pessoas com as quais a comunicação é estabelecida poderiam falar com uma entonação que dificulte a diferenciação e o reconhecimento de palavras. Para evitar essa situação desfavorável é recomendável praticar a escuta de vários sotaques. Se possível, planeje a conversa certificando-se de conhecer o sotaque do orador e da cidade onde ele mora. O léxico deve ser considerado além da entonação, pois o uso e o significado de algumas palavras podem mudar de uma localidade para outra.

8. Sempre trate seu interlocutor com respeito

Existem idiomas nos quais você não pode distinguir "você" de "tu", como no caso do inglês; a palavra "você" significa as duas traduções. Se a linguagem permitir, é sempre melhor chamar com respeito ao nosso interlocutor. Em alguns países, culturalmente eles costumam usar expressões muito formais com estranhos, como na França, ou por uma razão hierárquica, como no Japão.

A verdade é que língua e cultura andam de mãos dadas; se você deseja estabelecer uma comunicação efetiva e também cordial, deve entender o contexto situacional que leva ao tratamento de "você" ou de "tu" em cada país.

9. Use um sotaque neutro

Muitas vezes as conversas são geradas não apenas entre duas pessoas, mas também estabelecidas em um grupo maior. Pode acontecer que este grupo seja composto de um ambiente multilíngue e multicultural, portanto a melhor opção será sempre usar a entonação, o sotaque e a linguagem o mais neutro possível. Quanto maior o número de participantes em uma conversa, mais difícil será se comunicar efetivamente. Você também deve tentar usar o volume necessário para que todos possam ouvir perfeitamente.

10. Estudar o contexto situacional

Além de aprender sobre a cultura e os padrões básicos de comunicação de outros países, recomenda-se estudar outros fatores que facilitam uma comunicação efetiva. Por exemplo, em uma reunião de negócios é importante conhecer a equipe com a qual vamos nos comunicar, qual é sua estrutura hierárquica e quais são suas tarefas.

A comunicação efetiva sempre levará em consideração para quem usaremos o idioma no intuito de usar a linguagem mais apropriada para cada ouvinte. As palavras que usaríamos com um assistente não seriam as mesmas que escolheríamos para abordar o presidente de uma empresa. Esses tipos de detalhes devem ser estudados para obter uma conversa mais apropriada.

11. Atualizar-se

Assim como você deve cuidar da linguagem, cultura e contexto verbal e não verbal, também pode deixar uma ótima impressão mantendo-se atualizado sobre as notícias e desenvolvimentos locais. Isso servirá para ter um tópico de conversa, se precisar quebrar o gelo ou sair de uma situação embaraçosa. Deve-se prestar atenção se ocorreram eventos importantes e sensíveis para evitar erros na linguagem. As habilidades de comunicação e diplomacia são muito importantes no mundo dos negócios.


*Esse conteúdo foi produzido pela Berlitz, empresa parceira da Educação Metodista. Quer aprimorar seus conhecimentos e aprender outro idioma? Conheça nossa parceria com a Berlitz. Preços promocionais para alunos, docentes e funcionários da Educação Metodista.

registrado em: ,