Você está aqui: Página Inicial / Institucional / História

História

História do Instituto Metodista Granbery
A mais antiga instituição de ensino da Zona da Mata Mineira.

Em 1889, Juiz de Fora era um dos principais centros da Região Sudeste e forte reduto republicano. Foi neste contexto, que o professor J. M. Lander chegou ao Brasil juntamente com sua esposa e um filho de colo para, no dia 8 de setembro, abrir as portas do "O Granbery", que então recebeu o nome de Colégio Americano Granbery, em homenagem ao Bispo com o mesmo nome.

Segundo seus fundadores, "o fim básico da existência do Granbery é inspirar a vontade de pensar e ser livre para pensar". Nesta linha, foram criados, sobretudo na época do internato, vários grêmios literários que serviram de laboratório prático de aprendizagem de expressão verbal, oratória e de interpretação artística.

Vocacionado para ser uma instituição comunitária e solidária, o ideal mais amplo era transformá-lo na "Universidade Metodista no Brasil". Neste sentido, o programa de ensino estava harmonizado, de "maneira a mais completa, com as principais universidades americanas". Seu primeiro curso foi o de Teologia, fundado em 1890, pois a ideia era a de preparar pastores metodistas para "conquistarem o Brasil como um todo".

Na busca do ideal universitário, a Instituição teve no esporte uma de suas marcas mais notáveis. Atualmente, as atividades esportivas continuam ocupando lugar de destaque na educação granberyense e, por isso, uma área de 22.000 m² é destinada ao Centro de Educação Física e Esportes. Assim, fiel à sua origem vanguardeira, já em 1904 criava os cursos de Farmácia e Odontologia, orientados segundo as melhores "Dental School", dos Estados Unidos.

Em seguida vieram as faculdades de Direito (1911) e Pedagogia (1928). Os cursos criados atendiam sempre às constantes reivindicações da comunidade. Esse nexo entre a instituição de ensino e a comunidade juizforana, que ainda hoje se encontra na Universidade Federal de Juiz de Fora, é uma das características marcantes na vida do Colégio.

Em 1939, após períodos de muitas crises, o projeto de universidade acabou-se, mas não o sonho, pois o ideal da volta dos cursos superiores permaneceu nos corações dos granberyenses. No dia 5 de junho de 1999, na Igreja Metodista do bairro de São Mateus, foi realizado um Ato Solene de Instalação da Faculdade Metodista Granbery. No dia 2 de agosto, daquele mesmo ano, aconteceu a aula magna do primeiro curso a marcar a volta do sonho: Administração.

Hoje, além do curso de Administração, a Faculdade Metodista Granbery oferece à comunidade, os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Direito, Educação Física Bacharelado, Educação Física Licenciatura, Engenharia Civil, Pedagogia e Sistemas de Informação, além de cursos de pós-graduação e extensão.

Com vistas à preservação da memória, foi criado, em setembro de 1993, o Museu Granbery, em área de 170m². No local, encontram-se peças, móveis, máquinas e aparelhos que evidenciam a história do Instituto desde os primórdios. O Museu dispõe de acervo bibliográfico remanescente de algumas de suas antigas faculdades que, juntamente com a documentação, constituem-se em fontes de pesquisa nas seguintes áreas: escola confessional e educação em Minas Gerais, na Zona da Mata Mineira e em Juiz de Fora.

O Museu é, ainda, um espaço de pesquisa e de consulta para os alunos do Colégio e onde, periodicamente, são realizados saraus que contam com a presença de representantes dos vários segmentos do Granbery e da sociedade juizforana. O Instituto mantém alguns símbolos que estreitam as relações de carinho dos alunos e ex-alunos para com o Colégio: Hino Granberyense, "G" de Ouro, "Árvore", "Torre" e "Sino Granberyense". A Associação dos Granberyenses se encarrega de manter sempre viva essas relações.

A construção de um estado d'alma que se convencionou chamar de "espírito granberyense" , frase essa atribuída a Tarboux, é marca indelével que acompanha, ao longo da existência, todos aqueles que passam pela Instituição.

Desde a sua fundação, o Instituto tem se destacado pela qualidade do conhecimento científico-cultural que ministra e pela sólida formação dada aos seus estudantes, transmitindo-lhes princípios e valores que os preparam para a vida. Entre seus alunos despontam vultos que marcam hoje, ainda, presença positiva na religião, na política, nas artes, na diplomacia, na livre iniciativa, na educação, nas ciências, e que se destacam pela contribuição que dão ao desenvolvimento técnico-científico do País.

Este fato atesta a significativa influência que o Granbery tem exercido na educação e na formação cultural brasileira. Como parte dos festejos comemorativos de aniversário da fundação (8 de setembro), a comunidade promove várias atividades que culminam com culto solene de ação de graças. Na oportunidade, alguns granberyenses de destaque recebem o Título da Ordem do Mérito Granberyense.

Prof. Dr. Arsênio Firmino de Novaes Netto