Você está aqui: Página Inicial / Institucional / Símbolos

Símbolos

Hino Instituto Metodista Granbery

Granberyenses, a história sagrada
Desta casa que o nome nos dá
Há de ser em noss´alma guardada
Nosso lema da vida será.

Eia, avante, granberyenses,
Com firmeza varonil.
Deus e Pátria, trabalhemos
Pela glória do Brasil.

Granberyenses, a Pátria nos chama;
Preparemos o nosso porvir.
Pois a luta gloriosa reclama
Que saibamos com fé resistir.

Granberyenses, na lida incessante,
Mente pura e feliz, corpo são,
Um trabalho consciente e constante
Ofertemos no altar da Nação.

Granberyenses, um dia, passado
Nosso tempo de estudo e labor,
Para honra do Granbery amado,
Mostraremos o nosso valor.

E, sem tréguas lutando, altaneiros,
Na oficina, no campo, no lar,
Saberemos, fiéis brasileiros,
A verdade e a Justiça exaltar

Letra de Guaraci Silveira - Música de José Eutrópio

Sino Instituto Metodista Granbery

O sino, logo às seis horas
Faz a turma levantar
Leva à classe, à mesa, aos campos,
Depois faz "tudo" ir deitar.
E o Sino sempre a bater,
Faça frio, faça calor,
Dirije a turma inteira
Pensando que é Reitor.

Bate sino até cansar,
Toque sino até quebrar...
Sinto um arrepio
Porque já faz frio...
Bate inda mais, toque inda mais
Hás de arrebentar...

Bater sempre é o meu dever,
Não se zangue bom rapaz!
Se eu dormir como vai ser?
Ninguém quer trabalhar mais.
Não se zangue bom rapaz,
É um dever que vou cumprir,
Pois chegará o dia
De nunca mais ouvir

Quando um dia, terminado
Meu estudo feito aqui
Sino bom que falta enorme
Vou sentir então de ti
Todo dia, sem cessar,
Sem jamais eu me cansar
Hei de sentir saudades

Das vezes que te ouvi Bate inda mais, toque inda mais,
Vou me levantar,

(Verso final da última repetição do estribilho)

 Letra de Nélson de Godoy Costa

 


G de Ouro:

Irineu Guimarães e Oscar Machado trouxeram da Universidade de Emory a ideia de destacar os alunos por seus méritos. Criaram então o G de Ouro, que passou a ser a premiação para os desportistas granberyenses que se destacassem nas diversas modalidades esportivas e mantivessem um bom rendimento escolar. No ano de 1980, José Gomes de Campos, então Presidente da Associação dos Granberyenses – Setor Porto Alegre, unindo-se a um grupo de granberyenses de tradição, decidiu resgatar a homenagem, oferecendo o G de Ouro aos granberyenses valorosos para a história da Instituição.

 

 

 

Árvore:

Em princípios do século XX, Tarboux propôs aos professores a ideia de dotar a escola de uma divisa ou um símbolo a ser escolhido por concurso. A mente arguta de João Massena mergulhou nos clássicos e lá encontrou a imagem desejada no sábio conselho de Horácio: Crescit oculto velut arbor avo (Cresce imperceptivelmente, através do tempo, como a árvore). O professor de artes Attilio Bicchi configurou, em desenho a proposta de Massena, que venceu o concurso. O Granbery ganhou um símbolo: a Árvore. Em 1925, a árvore símbolo assumiu sua representação material com o plantio, entre os prédios Granbery e Tarboux, de um alfeneiro (Ligustrum Lucidum) em homenagem ao estimado professor Emílio Gonçalves.

 

 

Brasão Instituto Metodista Granbery